quinta-feira, 6 de agosto de 2020

QUILOMBO: Banda divulga contestador lyric vídeo de “Melanina”, assista agora!

Com o intuito de promover ainda mais o bem recebido EP “Itankale”, os paulistas do QUILOMBO acabam de divulgar seu primeiro lyric vídeo.

A faixa escolhida para este trabalho foi a contestadora “Melanina”, em um trabalho que contou com a produção e edição da Acto Filmes, podendo ser conferido na íntegra abaixo:



Lançado em 2019, “Itankale” ganhou definitivamente a imprensa especializada, recebendo inúmeras críticas positivas ao longo destes meses, veja: https://sanguefrioproducoes.com/n/2747

Ouça-o na íntegra aqui:

YouTube: https://youtu.be/q0zv1mGUS7M
SoundCloud: https://soundcloud.com/user-359701071-623657729/sets/itankele
Bandcamp: https://quilombo.bandcamp.com/album/itankale

Para adquiri-lo no formato físico, por apenas 10,00 (+ frete), entre em contato pelo e-mail pandadrums@hotmail.com ou no Facebook em www.facebook.com/quilombometal.

Imprensa interessada em resenhar ou entrevistar – de forma escrita, gravada ou em lives – a banda escreva para
contato@sanguefrioproducoes.com ou diretamente pelo WhatsApp/Telegram pelo número (46) 98838-7204 e solicite o press kit.

Contato para assessoria de imprensa: www.sanguefrioproducoes.com/contato
Sites relacionados:
http://www.facebook.com/quilombometal
http://www.twitter.com/quilombodeath
http://www.sanguefrioproducoes.com/artistas/QUILOMBO/72
Fonte: Sangue Frio Produções

domingo, 2 de agosto de 2020

Vulcano: Eye in Hell 2020


Lançamento: 13/03/2020
Sites:
Vulcanometal.bandcamp.com
Vulcanometal.com
Facebook.com/vulcanometal




Membros:
Luiz Carlos Louzada (vocals)
Zhema Rodero (guitars)
Gerson Fajardo (guitars)
Carlos Diaz (bass)
Bruno (drums)

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Valhalla: Novo Videoclipe Do Brave É Lançado



São mais de 20 anos de estrada! Várias Demos, EPs, dois álbuns e dezenas de shows e participações em festivais.
Na imprensa especializada, não apenas sobram elogios, como a alcunha de “criadores do brutal power metal”.
O Brave está de volta!


Depois da épica estreia com “The Last Battle” (2012) e do celebrado aperfeiçoamento em “Kill The Bastard” (2016), o Brave lança seu novo álbum, “The Oracle”.
Gravado e mixado por Marcio Teochi no Teochi Studio em Itu/SP e masterizado no estúdio Absolute Master em Capivari/SP, “The Oracle” reúne oito faixas: “Intro”, “Firestorm”, “The Oracle”, “We Fight for Odin”, “Valhalla”, “Wake The Fury”, “Fall To The Empire” e “We Burn The Heart”.



“The Oracle” foi lançado em fevereiro em um evento fechado para imprensa na Full House em São Paulo e já está disponível em todas as principais plataformas digitais de música:

Spotify: 
http://bit.ly/2PDdW3O
Claro Música: http://bit.ly/2PGkzSZ
Google Play: http://bit.ly/3cniMvC
A banda que é formada por Sidney Milano (vocal), Ricardo Carbonero (baixo), Carlos Alexgrave (bateria) e Carlos Bertolazi (guitarra), segue com seu plano de lançar vídeos para todas faixas do álbum. Já saíram vídeos para “Fall To The Empire”, “Wake The Fury”, outro para “The Oracle” produzido para a primeira edição do “Roadie Crew – Online Festival” e agora foi a vez de “Valhalla” ganhar um videoclipe. Aliás, com certeza o melhor vídeo do Brave até aqui!

Com filmagens de MJ Neto e edição do próprio guitarrista Carlos Bertolazi, o videoclipe “Valhalla” do Brave já está disponível no canal oficial da banda no Youtube:




A versão em CD Físico de “The Oracle” tem distribuição exclusiva da Anti Posers Records. Para pedidos no atacado, acesse: https://www.facebook.com/antiposersrecords
O CD está disponível para venda no varejo em todo Brasil pela Die Hard Records: http://bit.ly/3daTxNA



domingo, 26 de julho de 2020

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Naglfar: Cerecloth 2020


Lançamento: 08/05/2020
Gêneros: Black Metal/Melódico
Origem: Suecia

Site Oficial
Facebook
Instagram
Spotify

Membros
Kristoffer W. Olivius - Vocals
Marcus E. Norman - Guitar
Andreas Nilsson - Guitar




sexta-feira, 17 de julho de 2020

AUÐN Revela Detalhes Do Terceiro Álbum VÖKUDRAUMSINS FANGI



Formado na Islândia a banda de black metal AUÐN revelou a capa e os detalhes do seu novo álbum 'Vökudraumsins fangi'. Será lançado em 30 de outubro pela gravadora Season of Mist.

Comentário da AUÐN: "Estamos entusiasmados em anunciar nosso novo álbum 'Vökudraumsins fangi', que será lançado na Season of mist neste outono. Após o lançamento do Farvegir fyrndar, nos vimos querendo expandir nossos horizontes e tentar novas direções com nossa música. Adicionando um novo membro à dobra, entramos em território desconhecido para Auðn. Exploramos ainda mais os temas que queríamos traçar por algum tempo. Mais agressividade, mais melodia e, com a ajuda de Jens Bogren, alcançamos paisagens sonoras que ecoam a vasta desolação que hoje é Auðn. ”

A capa de 'Vökudraumsins fangi' foi criada por Mýrmann e pode ser vista abaixo, junto com a lista de faixas.



01. Einn um alla tíð
02. Eldborg
03. Birtan hugann brennir
04. Verður von að bráð
05. Drepsótt
06. Næðir um
07. Horfin mér
08. Á himin stara
09. Ljóstýra
10. Vökudraumsins fangi

Uganga realiza primeira LIVE neste sábado


A apresentação acontece no Vitrola Ambiente Cultural em Araguari/MG e será transmitida ao vivo pelo Youtube a partir das 21h

O quinto álbum de estúdio do Uganga, “Servus”, lançado em Março de 2019, é, sem dúvidas, o mais bem-sucedido trabalho do grupo mineiro até aqui!
Afinal, além de ter sido financiado por dois relevantes prêmios - o Wacken Foundation e a PMIC de Uberlândia - “Servus” foi indicado entre os “Melhores Álbuns de 2019” por mais de 20 veículos de comunicação!
"Incrível" (Collectors Room); "Servus é daqueles álbuns que merecem ser colocados em um dos pedestais dos grandes trabalhos já lançados por bandas brasileiras." (Heavynroll); “Um trabalho de primeira linha, feito por uma das maiores bandas do Heavy Metal na atualidade.” (Galeria Musical); "Impecável" (Mondo Pop); "E se existiam dúvidas de que o Uganga é um nome diferenciado, não só no cenário nacional, mas sem paralelo no mundo em termos de identidade musical, “Servus” as dizimará!" (Gaveta de Bagunças). É o que dizem algumas das resenhas sobre o disco.
E se não bastasse, o vocalista do Uganga, Manu “Joker” Henriques, foi eleito o 7º "Melhor Vocalista do Brasil de 2019", na votação realizada entre os leitores da revista Roadie Crew.

Infelizmente o Uganga teve que adiar uma cheíssima agenda de shows devido a pandemia pelo novo coronavírus, mas já adaptado ao novo cenário, a banda realiza neste sábado, dia 18 de Julho, a partir das 21h, sua primeira LIVE. A apresentação será realizada no Vitrola Ambiente Cultural em Araguari/MG e transmitida ao vivo pelo canal do bar no Youtube: www.youtube.com/VitrolaAC

"Ficar parado é chato, mas algo pequeno perto de tudo o que representa essa pandemia”, diz o lendário vocalista Manu Joker. “Só vamos mensurar isso mais adiante e ficar reclamando nunca foi a nossa. As Lives são uma opção interessante nesse momento e queremos que a do Uganga seja especial. No trabalho em conjunto com o Lucas Roza (Mundo da Lua Estúdio) e o pessoal do Vitrola, tenho certeza que vamos tirar um áudio foda, pois o papo aqui é rock pesado. A ideia também é usar multicam e na parte musical teremos como sempre algumas boas surpresas. Estamos indo na pegada de show, na pilha e na energia boa e esperamos contar com todos aqueles que nos apoiam nesse sábado."

terça-feira, 14 de julho de 2020

Entrevista Exclusiva Da Banda INFESTATIO



Hoje conversamos com a veterana do Thrash Metal INFESTATIO, que completa neste ano 20 anos de carreira. Confira o bate-papo abaixo e saiba um pouco mais deste importante nome do cenário brasileiro:

Primeiramente, como surgiu o nome Infestatio?

Rafael Neves: O nome INFESTATIO  vem do latim, que significa infestação, porém buscamos esse nome pois ele também tem um significado associado ao lado “religioso”, o termo INFESTATIO é utilizado pelos líderes da igreja quando autorizam que seja realizado oficialmente um ritual de exorcismo, pois existem algumas “regras” e/ou “requisitos” que precisam ser preenchidos para que a pessoa seja comprovadamente, perante eles, “infectada pelo demônio”, então se referem a essa pessoa como INFESTATIO.
Como surgiu a ideia de formar uma banda de Thrash Metal? Qual o diferencial pensado pela banda?

Acredito que, como a maioria das bandas, surgiu de você seguir os seus ídolos, e conseguir criar músicas que a gente gostaria de ouvir e quebrar o pescoço curtindo! O diferencial da banda, sempre foi de tentar buscar um estilo próprio, e não se limitar em apenas uma linha, o nosso coração, a nossa alma vem do Thrash Metal, e com certeza estará presente em todas nossas músicas, mas o que acreditamos que é o nosso diferencial é realmente conseguir flertar, ou mesclar outros estilos sem sair da nossa origem.

Sobre o mais recente trabalho de estúdio, sobre o novo álbum “Unleashed The End”, como está a fase de gravação desse novo trabalho? Quem está por trás do material gráfico (capa, encarte e tudo mais) e da sua produção?

O álbum já está inteiro gravado e estamos na parte final da mixagem das faixas, infelizmente essa situação mundial que estamos vivendo acabou atrasando um pouco algumas coisas, mas já retomamos com força total e correndo para finalizá-lo o quanto antes! Em relação a parte gráfica da capa, quem está realizando é um artista chamado Cajueiro, que conseguiu captar perfeitamente nossas ideias e conceitos para a capa do álbum. Toda a produção ficou a cargo de Caio Picolotto, que hoje também é o baterista e coproduzido por mim (Rafael Neves), o que garantiu que o trabalho saia praticamente da forma como foi concebido desde a pré-produção, pois tivemos controle total sem nenhum tipo de interferência externa.



Quem escreve as letras e quem compõe as partes instrumentais?

As letras são todas de autoria minha e praticamente toda a parte instrumental também. Este disco contém algumas músicas mais antigas da banda com uma nova roupagem, que foi extremamente influenciada pela entrada do Caio na bateria, que trouxe toda sua influência, criatividade e versatilidade como músico, então posso dizer com segurança que até as faixas antigas ganharam uma nova vida com a presença dele na banda. As novas composições já trazem essa mistura entre o lado técnico dele e o lado agressivo meu muito mais evidente.


Como vocês veem a trajetória, as conquistas e o amadurecimento da banda ao longo desses 20 anos?

Nessa resposta tenho que falar mais por mim, que sou o membro fundador, pois o Caio está comigo apenas 3 anos como membro da banda, porem ele já nos acompanhava como produtor a alguns anos antes, enfim, a banda faz parte da minha vida, então o meu  crescimento como pessoa está associado diretamente ao crescimento e desenvolvimento da banda, eu a encaro como uma pessoa, um grande irmão, pois enfrentamos de tudo ao longo desses anos, várias mudanças de formação, mudanças de país, situações em que dava vontade de desistir, enfim, dificuldades não faltaram (como a maioria das bandas), porém, o amor a música, a vontade de evoluir sempre como músicos e de cada dia mais fazer músicas com mais vontade , paixão e fúria é o que manteve, mantém e manterá a chama viva dentro de nós, e de lutar por essas músicas e pela banda não importando o que a gente tenha de enfrentar... e quando falamos de uma banda 100% independente, todos sabemos que os desafios nunca vão acabar...


Na opinião do Infestatio quais são os pontos que uma banda deve olhar quando pretende investir em mídia?

Não só atualmente, mas desde sempre a mídia é crucial para uma banda, atualmente é praticamente impossível uma banda não ter suas redes sociais, e acima de tudo uma assessoria de mídia. Em outras épocas a maior mídia e maneira de divulgação eram os shows e o boca a boca... hoje, a assessoria muitas vezes tem praticamente a mesma importância de um outro membro da banda!

E qual a maior dificuldade em ter uma banda autoral nos dias de hoje?
O que você acha que pode ser mudado, no geral, para que o metal nacional tenha mais espaço?

Com certeza a maior dificuldade é a mesma de sempre, financeiro. Praticamente toda banda independente precisaria de patrocínios, ou parceiros. Atualmente a grande maioria das bandas se sustentam 100% com recursos próprios o que tende a ser crítico, pois muitas vezes isso acaba desmotivando muitas bandas ao longo do tempo, ou “enroscando” a banda, pois quando ela mais precisa investir para crescer, ele não encontra recurso. Atualmente também temos enfrentado algo que já estava acontecendo antes da pandemia, o fechamento de muitas casas de eventos, o que diminui muito o espaço para as bandas autorais poderem divulgar seu trabalho.

Com a pandemia e essa quarentena vemos muitos artistas fazendo lives e participando de eventos online, vocês também pretendem fazer algo do tipo?

Então, isso faz parte dos nossos planos, porém, devido a correria do dia a dia, então estamos completamente focados na finalização do álbum, então todo nosso tempo de banda está voltado para isso. Porém já estamos nos organizando para tentar soltar um material bem interessante, se tudo correr bem, talvez a gente solte uma “surpresa” por aí...


Agradecemos muito pela atenção, e deixe agora sua mensagem para nossos leitores e fãs.

Queremos primeiramente agradecer ao espaço que vocês nos cederam, agradecer ao pessoal da Sangue Frio que tem sido extremamente dedicados e atenciosos com a gente, e quero dizer a todos que, acima de tudo a música deve prevalecer, estamos vivendo tempos difíceis, e se tem algo que ajuda todos em tempos assim é a arte, e muitas vezes a música é capaz de nos manter sãos! Saibam que o INFESTATIO está trabalhando com o máximo de dedicação para fazer um álbum que todos possam se identificar, de uma forma ou de outra, tanto os fãs antigos, quanto os novos, quem já conhece as músicas, com certeza vai se surpreender e quem ainda não conhece, esperamos que não se decepcionem, pois uma coisa a gente garante, a dor no pescoço tem que ser intensa após a audição do disco! Um grande abraço a todos!

INFESTATIO é:
Rafael Neves (Rafão) – Guitarras e Vocais
Caio Piccolotto – Bateria

GAEREA LANÇA TERCEIRA FAIXA 'LIMBO'



A banda catártica de black metal GAEREA agora está estreando a terceira faixa, que é retirada das próximas faixas 'Limbo'! Que vem na forma de um belo videoclipe, gravado nas ruas do Porto. "Limbo" dará a luz em 24 de julho.



Comentário da GAEREA: “Filmado nas antigas ruas do Porto, cidade natal de Gaerea, a CONSPIRANOIA é muito mais do que apenas uma viagem agonizante e hipnotizante às profundezas do próprio Vortex. Completamente preenchido com pequenos ovos de Páscoa em todo o clipe, que eu sei que poucos conseguirão identificar, o videoclipe será terceiro e último single do LIMBO cruza a linha, a fronteira natural entre a realidade e a mera percepção dentro de nossas memórias, "dejavus" e romantizando aventuras. Gaerea está preso dentro de seu próprio mundo. Os mártires dentro do Limbo. "

quinta-feira, 11 de junho de 2020

Abbath: Menciona que está em aberto um possível retorno Immortal

(Foto de divulgação)

Abbath, que recentemente deu uma entrevista ao site norueguês Dagbladet Magasinet, diz que está aberto sobre a idéia de retornar às fileiras da lendária banda de black metal Immortal.

"Outros membros da banda disseram que eu tinha problemas com drogas e álcool", comentou Abbath. “Eu nunca os incomodei com essas coisas. Eles só usaram isso como desculpa.

Abbath era casado com a irmã de Demonaz e o casal também tem um filho chamado Torbjørn. Abbath e Demonaz não se falam desde o intervalo.

"Isso me deixa triste", diz Abbath. "Meu filho e Harald raramente se vêem, mas ele [Harald] ainda é seu tio."

Quando o homem é perguntado se, apesar do passado, ele poderia um dia retornar às fileiras de Immortal, a resposta é clara.

"Reunião imortal? Hummm - Abbath pondera. "Recebi uma mensagem de Horgh [baterista do Immortal Reidar Horghagen] onde ele escreveu que ficar sóbrio é uma coisa ótima."

"Não conversamos com Harald", continua o homem. “Para mim, porém, não há mais sangue ruim ou amargura. Eu entendo que fazia parte do problema. Meu negócio está bem agora. No entanto, estou aberto à Reunião Imortal? Claro. Mas deve ser algo especial. Eu gostaria que pudéssemos sentar e conversar sobre isso quando tudo der errado - sem advogados.


quarta-feira, 22 de abril de 2020

DEEP MEMORIES: Entrevista Exclusiva


A banda entrevistada de hoje é um dos principais ‘one-man-band’ da atualidade. Trata-se da paulista Deep Memories, formada por Douglas Martins e executando um Death/Doom Metal de extrema qualidade. Confira:

Como se deu início a trajetória musical do Deep Memories?

Douglas Martins: Mesmo após ter deixado o Desdominus em 2005 não parei de tocar, meu principal instrumento é a guitarra então todas as vezes que praticava acabava saindo algum riff ou ideia boa. Ao longo do tempo comecei a registra-las com meu celular, quando percebi no final de 2015 tinha muita coisa gravada. Sempre tive a intenção de registrar minhas próprias músicas tocando todos os instrumentos. Já tinha uma certa habilidade com processos de gravação e assim iniciei a registrar todo material em 2016 foi quando surgiu a ideia de um projeto que foi tomando forma até se tornar o Deep Memories.

Deep Memories é uma one-man-band que busca fugir de rótulos e traz em sua essência um som único. Qual a temática de seu trabalho? Quais são suas influências?

Douglas Martins: A temática do Deep Memories acabou vindo após concluir a composição e gravação de todas músicas. A sonoridade e sentimento que as músicas expõem para mim, sem dúvidas, vem em primeiro lugar. Inicialmente pretendia fazer um projeto instrumental, assim como o If These Threes Could Talk, mas acabei sendo convencido pelo Wilton da Heavy Metal Rock em adicionar os vocais. Ideologicamente falando, tinha a certeza de que não ergueria nenhuma bandeira, seja defendendo ou atacando o que quer que seja. Tenho buscado a prática da valorização e respeito ao indivíduo seja ele como for, entendendo sua progressão evolutiva e que cada um “deve” ser, no mínimo, compreendido. Indo por este caminho, escrevi sobre alguns episódios marcantes de minha vida como momentos de grande tristeza, frustação e descontrole. Também acabei criando uma história narrada nas cinco primeiras músicas do álbum, que relata a vida post mortem de uma pessoa e ficou muito interessante, pois a ambientação da música é complementada pela letra.
As influencias musicais são bem abrangentes, vai desde prog rock até o extremo black metal. A sonoridade do Deep Memories é bem alicerçada no metal dos anos 90, mas muitas bandas me influenciam como Dark Tranquillity, Pink Floyd, Amorphis, Dream Theater, In Flames, Nevermore, Anathema, Iron Maiden, Lacuna Coil, My Dying Bride, Within Temptation, Black Sabbath, Theatre of Tragedy, Ozzy Osbourne, At the Gates, Dimmu Borgir e Bathory.

Conte-nos sobre ser one-man-band como descreve a sua forma de tocar?

Douglas Martins: Difícil esta pergunta, nunca havia pensado sobre minha forma de tocar. Poderia dizer que está centrada em conseguir com que minha expressão musical e composições transmitam um sentimento, que não sejam apenas notas soltas ou executadas rapidamente. Que sejam uma ambientação que te impacte de alguma maneira, com todos elementos interligados. 

Como foi o processo de composição das músicas do álbum “Rebuilding The Future”, como foi esse trabalho?

Douglas Martins: Ao longo destes anos envolvidos com bandas, sempre compus em duas ou mais pessoas pois normalmente as ideias surgem das guitarras. Com o Deep Memories experimentei um novo jeito de compor. Quando resolvi revisitar os trechos e riffs gravados um turbilhão de ideias surgiram conforme reaprendia as melodias, e fui registrando isso, depois organizei e combinei os trechos e formei as canções. Nem de longe imaginei o trabalho que daria fazer um álbum desde as composições, gravação, mixagem e masterização, mas valeu muito a pena.

Onde podemos encontrá-lo para ouvir online e para adquirir?

Douglas Martins: O álbum “Rebuilding the Future” está disponível em todas as plataformas digitais como YouTube, Spotify, Deezer, Itunes... Só dar um Google.
Também foi lançado em CD simultaneamente no Brasil pelos selos Heavy Metal Rock Records de Americana/SP e Misanthropic Records de Brasilia/DF, na Rússia pelo selo GS Productions e no Japão pela Invasion of Solitude Records.
Recentemente este álbum foi relançado em vinil pelos selos Neves Records e Heavy Metal Rock Records nas cores preta e azul, com capa exclusiva.
Para adquirir os álbuns, camisetas e demais acessórios, acessar  HYPERLINK 



 HYPERLINK 



Ouça gratuitamente nas principais plataformas de streaming:

Dentre as faixas do álbum, alguma tem significado especial para você? Por quê?

Douglas Martins: A “Explicit Way to Relieve Pain”. O riff principal desta música foi composta a mais de 15 anos e ouvir no que se transformou foi incrível. A letra também retrata um momento bem crítico da minha vida, onde extravasar ódio dos acontecimentos me levaram à uma rotina autodestrutiva que custou voltar ao normal.

Qual a maior dificuldade em ter uma ‘one-man-band’ nos dias de hoje?

Douglas Martins: Parece obvio, mas a maior dificuldade de uma ‘one-man-band’ é fazer tudo sozinho, contatos, pacotes para correio, preparação de material divulgação, responder entrevistas, manter o site e as redes sociais atualizadas isso tudo dá um trabalho grande. Hoje conto com a Sangue Frio Produções para me apoiar com a parte de mídia, mais ainda assim conciliar trabalho, família e banda não é uma tarefa fácil. Consegui me adaptar ao longo dos anos, mas no começo foi muito complicado.

O que você acha que pode ser mudado, no geral, para que o Metal nacional tenha mais espaço?

Douglas Martins: Cara, sinceramente não sei, talvez nossa educação. Falo de escola mesmo, reestruturar o método de ensino onde a música seja incluída no currículo mínimo da formação intelectual, seguindo exemplo dos países desenvolvidos. Com isso toda população receberia um alicerce sobre a relevância da arte musical, que passaria a suportar os artistas entendendo a importância da pluralidade e da diversidade musical (fora do eixo ultra enraizado pagode-sertanejo-funk-axé). 
Esta nova educação geraria cidadãos não lobotomizados pela grande mídia, flutuando entre “novos fenômenos” como Anitas e Marilias Mendonça... 
Uma cultura musical sólida e diversa nasceria a partir daí, com locais para apresentação e valorização da cultura artística musicalizada. Enfim, teríamos que reestruturar nossa sociedade para termos um progresso cultural, sem isso, não vejo possibilidade de grandes mudanças... 

Você acha que a internet também ajuda a formar mais público para as bandas?
Como você vê a importância desse recurso dentro do cenário atual?

Douglas Martins: Na verdade, não consigo mais enxergar a música sem a internet! Ambas estão totalmente ligadas hoje em dia. Neste momento de pandemia que estamos passando o recurso da internet se transformou em uma ferramenta ainda mais potente. Muitas organizações ligadas a cultura musical estão passando por uma situação calamitosa. A internet tem sido o meio onde através de soluções inovadoras estas organizações (bandas, revistas, lojas e sites) tem conseguido extrair um suspiro de esperança.

 HYPERLINK

Conte-nos, quais são os projetos futuros da banda?

Douglas Martins: Neste momento estou no meio do processo de gravação do segundo álbum do Deep Memories, boa parte do material já está gravada. Se tudo correr bem, até o final de 2020 concluo.

Agradecemos imensamente a atenção dedicada e deixa aqui um espaço para as considerações finais da banda, se assim desejar.

Douglas Martins: Eu que agradeço o espaço cedido! Caso queiram conhecer mais sobre o Deep Memories acesse nosso site  HYPERLINK

http://www.deepmemories.com.br

www.deepmemories.com.br

ou os perfis no Instagram, Facebook e Bandcamp. Valeu!

DEEP MEMORIES é: 
Douglas Martins – Todos os instrumentos

Contato para assessoria de imprensa:  HYPERLINK

http://www.sanguefrioproducoes.com


quarta-feira, 15 de abril de 2020

CHROMESKULL: Entrevista Exclusiva


CHAMA DO METAL: Olá tudo bem? Gostaríamos de começar este bate-papo agradecendo o CHROMESKULL pelo tempo cedido, é um prazer conversar com vocês. Bem, vamos lá: Conte para nossos leitores, um pouco mais da história da banda e apresente a sua formação atual.


Chromeskull: E aí galera, como estão? Bom, a gente iniciou aa atividades em 2017 como um trio e seguíamos uma linha mais Speed Metal, e dessa formação saiu o EP “Deads Shall Rise”. Em julho de 2019, acrescentamos mais um guitarrista na banda e desde então estamos com essa formação, e como produto dessa formação gravamos o single Screams In The Night. Então atualmente nossa banda conta com o Kayke Lima (bateria), Doug Zukeran (baixo), Arthur Benitez (guitarra) e Carlos Leonello (guitarra e vocal).


CHAMA DO METAL: Comente um pouco sobre este atual trabalho, “Screams In The Night”, como foi trabalhar em sua composição, gravação e como tem sido a recepção do público sobre ele?

Chromeskull: Na realidade, foi um processo bem divertido, curtimos todos os segundos dentro do estúdio gravando esse single. Tirei como inspiração as experiências que tive
curtindo a noite num evento de Heavy Metal em São Paulo, então são músicas que transmitem bem como é a cena paulista. Gravamos dois sons em um único dia, todos os instrumentos e a voz, apesar de ter sido cansativo, foi uma experiência sensacional.

Ouça:



Encontre nas demais plataformas digitais:


Deezer:






CHAMA DO METAL: Vimos na imprensa diversas críticas positivas sobre o single, vocês acreditam que ele atingiu as expectativas?

Chromeskull: Na verdade sim, estamos satisfeitos com o resultado atingido, porém sabemos onde melhorar e como melhorar. Com esse single, estamos começando a explorar nossa identidade e isso é bem evidente entre o nosso primeiro trabalho e o mais
recente. Mas continuamos buscando nosso som e compondo bastante.


CHAMA DO METAL: Como a banda enxerga o cenário do Metal brasileiro na atualidade e quais seus principais pontos positivos e negativos?

Chromeskull: O cenário do metal no Brasil ainda é um pouco fechado, tem uma quantidade absurda de headbangers “conservadores” (nesse caso, conservador no sentido de não olhar para as bandas novas) e isso atrapalha um pouco a visibiĺidade das 
bandas em geral, então isso se torna um problema quando o assunto é comparecer a shows ou adquirir os materias das bandas que estão ativas. Os headbangers devem se unir em prol de manter o metal vivo, mas temos visto muita desunião, acreditamos que esse é um dos, senão o principal, pontos negativos. Mas claro, tem uma parcela da galera que comparece e curte os shows e compram o material das bandas underground. 

CHAMA DO METAL: Em meio a esta pandemia do vírus Covid-19, vimos também inúmeros shows e turnês sendo canceladas, acho que muita gente até se impressionou com o número de shows que estavam acontecendo no Brasil, mas não por eles acontecerem e sim
por estarem sendo cancelados. Vocês acreditam que após essa pandemia, os headbangers voltarão a dar o valor merecido aos eventos undergrounds?

Chromeskull: Eu acho muito difícil dos eventos voltarem a ser valorizados, vamos colher os frutos do Covid-19 por um bom tempo, então a partir de agora, enquanto as pessoas não se sentirem seguras, os eventos serão mais vazios. Mas apesar de tudo, essa quarentena deixa todo mundo desesperado pra sair de casa logo pra tomar umas 
cervejas com seus amigos e curtir um som, então essa é uma questão bem relativa.

CHAMA DO METAL: Fale um pouco dos projetos futuros do CHROMESKULL, o que podemos esperar neste ano de 2020?

Chromeskull: Cara estamos em fase de composição do nosso primeiro álbum e as músicas estão ficando muito boas, estamos curtindo muito as ideias que estamos tendo e aproveitando essa fase de quarentena pra pensar e planejar como serão os futuros shows 
e escrevendo novas músicas. Além disso, estamos com um novo vocalista na banda, que ainda é uma surpresa e não vamos anunciá-lo ainda, mas garanto que todos irão curtir 
essa nova fase do Chromeskull, as músicas estão mais trabalhadas, estamos criando com o coração e tambem usando inteligência na hora de criar riffs, linhas de baixo e viradas de bateria.

CHAMA DO METAL: Muito obrigado por esta entrevista, deixamos este espaço para as considerações
finais.

Chromeskull: Agradecemos toda a equipe do Chama do Metal pelo espaço disponibilizado e esperamos ver todos o mais breve possível, assim que todo esse cenário pandêmico acabe. Fiquem em casa! Valeu!

CHROMESKULL é
Kayke Lima – bateria
Doug Zukeran – baixo
Arthur Benitez – guitarra
Carlos Leonello – guitarra e vocal

Contato para assessoria de imprensa:

www.sanguefrioproducoes.com/contato 
Sites relacionados: 



segunda-feira, 2 de março de 2020

Absu: Anuncia Término!


Após três décadas de blasfêmia, vocalista, baterista e mentor da banda Absu "Proscriptor" anunciou o encerramento das atividades, através das redes sociais.

# NOTA OFICIAL Clicar aqui #

"Após deliberação escassa e remorso zero, decidi dissolver o ABSU após três décadas de existência. Coletiva e universalmente falando, essa decisão é finita devido a circunstâncias insolúveis, o que levou a esse resultado final. Nenhuma quantidade de tempo, esforço, fórmula ou moda pode alterar meu veredicto."