quarta-feira, 1 de junho de 2016

Resenha: Cena Underground, um Cast de peso realizado no “Pub” Manifesto Bar/SP



Fotos & Texto: André Santos
Filmagens: Maria Correia
Realização: Dunna Records & WWA Produções

Nesse feriado Nacional (com pontos facultativos) de “Curpus Christi”, o Manifesto Bar localizado no bairro do Itaim Bibi em São Paulo, abrigou em seu espaço bandas da Cena Underground Nacional com repertórios de autorias próprias, representando as vertentes do Metal como: Death, Thrash e o Heavy Metal. Bandas como Chaos Synopsis, Magister, Falange e I-Arc, estavam presente para solidificar a cena Metal brasileira no palco do Manifesto.


Mas vamos aos registros da noite! Por volta das 20h00min, a banda paulista I-ARC sobe ao palco do Manifesto Bar, com seus integrantes: Carolina Brandão (Bateria), Caio Cezar (Baixo), Lineker Andrade (Guitarra) e Júlio Leandro (Vocal), para apresentar seu tradicional Heavy Metal composto em nossa língua pátria. Com as luzes apagadas ainda, é executada a introdução mecânica de (sirenes com ruídos de guerra) soam ao palco, onde o ‘Júlio’ frontman da banda surge dando o inicio a canção “Matar e Morrer”, cheia de riffs pegajosos e com solos rasgados e refrôes marcantes. Logo em seguida, o frontman anuncia a próxima música “Tábula Rasa” que pertencerá ao seu próximo projeto que carregará o mesmo título.
Que em seguida vem a canção “Vingança de Horus” do primeiro (EP – Encruzilhada). Os acordes cheios de efeitos que se iniciam através das mãos de ‘Lineker’ (guitarrista), que nos conduzia a uma atmosfera psicodélica que veio ganhando forças e muito peso acompanhada pela cozinha de ‘Caio’ (Baixo) e ‘Carolina’ (Bateria) que descia a mão em seu kit com precisão nas passagens de psicodelia da canção que ganhava a vida através da voz de ‘Júlio’. Depois da execução dessa canção, o frontman da banda encontra um momento para anunciar a próxima música, assim apresentando o Baixista ‘Caio Cezar’ onde o mesmo inicia através de seu instrumento, os acordes de “Heróis do Front”, uma canção que faz a menção aos nossos soldados brasileiros, que estão dispostos a proteger a nação. 

Logo em seguida o ‘Julio’ comenta que a próxima música fará parte de seu novo “Single” que contará com três canções e,  ‘Caio Cezar’ (Baixo), aproveita para dedicar a música a sua esposa, que se encontrava próxima de comemorar sua data de aniversário, o que ocasionou muita estranheza, pois a música que o frontman se referia era “Paranoia Mortal”, surgindo algumas brincadeiras. “Isso é canção que se dedica a esposa (rs...)”. Com brincadeiras a parte o frontman Júlio apresenta a baterista ‘Carolina Brandão’, que vem seguida dos acordes de ‘Lineker Andrade’ e acompanhado de notas altas puxadas por Júlio (Vocal) dando muita energia e gás a canção.


Infelizmente estamos caminhando para o fim de sua prestação, mas a noite somente estava começando no “Manifesto Bar” e a banda anuncia a sua última música, “Encruzilhada” que faz o titulo ao seu EP de trabalho. Depois dessas canções executadas, compostas em português a banda I-ARC sede o espaço para a 2ª apresentação da noite.


Depois da organização do espaço chega o momento do quarteto de Thrash Metal do grande ABC/SP, subir ao palco do Manifesto Bar e por volta as 21h00min, sobe ao palco a banda Falange para iniciar sua prestação.  Já posicionados e os seus integrantes: Caio Imperato (Bateria), Marcelo Coletti (Baixo), Ivan Miotto (Guitarra) e Luciano Piagentini (Vocal), iniciam sua apresentação no espaço com a música “Silence Doesnt High the Blame” demonstrando muito gás para uma pequena fatia presente no “Pub”, que esteva ali apoiando a cena Underground. Em seguida veio emendada a canção “ Destruction of Sky”, com riffs extremamente potentes de ‘Ivan Miotto’. Depois dessas execuções o ‘Luciano’ frontman da banda, agradece ao publico presente e anuncia a próxima música, mais uma faixa composta em inglês, “Mandless”. Antes mesmo da próxima canção, o frontman da banda aproveita a pausa para fazer alguns agradecimentos: “Obrigado a banda “Magister” e ao André Evaristo pelo o convite. E a agradece a casa também por espaço cedido, e as pessoas responsáveis pelo  evento e de quebra ao “Chama do Metal” por estar presente mais uma vez registrando tudo”! Na sequência o próprio anuncia a próxima música “Fight” despejando muito peso em nossos ouvidos, onde podíamos sentir toda a energia vinda do palco.


Depois de algumas músicas executadas e compostas em Inglês, chega o momento das canções compostas em nossa língua pátria e o frontman da banda anuncia a próxima música do EP que se encontra em processo de trabalho, fazendo um trocadilho (vamos tocar uma música para esquentar) e foi no momento que os acordes se iniciaram dando vida a canção “Fogueira”. Em seguida veio a próxima música, que retrata o comportamento humano e da sociedade “Humanodebimental”. Mas, infelizmente vamos caminhando para o final da apresentação do Falange e ‘Luciano Piagentini’ agradece a galera presente no Manifesto Bar anunciando a música “Fuck your Play” fechando  seu bloco da noite.  


Com o fim da apresentação do quarteto do Falange, é dada mais uma pequena pausa para a organização do palco, para acolher a próxima atração da noite. Ao fim da mesma organização chega o momento da 3ª prestação da noite. Por volta das 22h00min, sobe no palco a banda Magister, representando o Heavy Metal paulistano formado por André Evaristo (Vocal/ Guitarrista, ex membro “Torture Squad”), Lucas Leoni (Guitarrista), Lineker Andrade (Baixo e membro do “I-ARC” como Guitarrista) e Pedro Alzaga (Baterista) dando inicio ao seu set com uma pequena introdução mecânica, e ao fim dela o ‘André Evaristo’ guitarrista e frontman da banda deseja um boa noite ao “Manifesto” e logo diz: “Somos a Magister pra vocês” emendando os acordes da canção “Rising Of The Crown”, despejando muitos riffs rasgados e cadenciados em nossos ouvidos, onde os guitarmans se reservavam em duelos constantes.
E sem perder muito tempo os músicos do Magister, aproveita a “Vib” que vinha do palco e do publico, eles emendam de cara mais uma canção “Rain (Falling Tears)” do seu Full-Leght de 2000, onde os músicos uniam acordes ultra – rápidos e com muita técnica no palco. Depois dessa trinca musical o frontman ‘André Evaristo’ apresenta o guitarrista ‘Lucas Leoni’ e o mesmo inicia solos fritantes e repletos de técnicas vinda de suas mãos, nos causando uma ótima performance. Com todo esse gás esbanjados por ele, a banda segue já emendando a música “Over The  Rainbow” empolgando muito a uma galera pequena presente fechando o seu primeiro bloco.


Antes mesmo da banda iniciar o 2º bloco de canções a serem tocadas. O André Evaristo aproveita para nós dizer: “Estamos na estrada já algum tempo. Onde a banda iniciou no meados do anos 2000, gravamos dois álbuns depois disso acabamos dando um tempo, mas retornamos a atividades em 2015”. O mesmo aproveita para apresentar a banda e seus integrantes como: André Evaristo e Pedro Alzaga membros originais da primeira formação e seus novos membros como: Lineker Andrade (Baixo e integrante da banda I-ARC) e o Lucas Leoni (Guitarra) fechando o apoio e formação do quarteto. André aproveita para dizer que os dois álbuns anteriores, lançados por eles, logo em breve estará sendo relançado em forma digital e acompanhado por novas composições. Logo em seguida a pedidos..., o frontman os atende com a música “The Savation Song” do álbum “The Art Of Changes" – 2002. Ao término dessa canção o André nos apresenta seu batera e começa a nos ensinar a melodia da música “The Truth About The Lies” repletos de duelos de acordes empolgadíssimos que nos brindava com muita técnica dos músicos presentes no palco.


Com o seu 2º bloco fechado o frontman do Magister aproveita o tempo para fazer algumas considerações ao “Rômel Santos da “Dunna Records” ao Willian de Oliveira da “Wwa Produções” ao pessoal do “Manifesto Bar e as bandas I-ARC, Falange e Chaos Synopsis, que está preste a subir aqui e a toda galera presente”. Logo em seguida o frontman anuncia a próxima música “Genghis Khan (Running Wild Cover) executadas com riffs extremamente pegajosos e cadenciados . E sem perder tempo a banda Magister emenda a canção “In Strainght Line” com muita energia onde podemos presenciar alguns duetos entre o André e o Lucas. Na sequência o frontman agradece e já inicia a última música “The Endless Path” do álbum “The Art Of Changes" – 2002, fechando assim o seu 3º bloco de apresentação no palco do Manifesto com uma sensação de dever comprido.


Depois da apresentação impecável da banda Magister ,somente nos restava esperar a organização do palco do Manifesto, que sempre rola de forma muito rápida e organizada. Com um conograma muito bem executado pelas bandas presentes, chega o momento da próxima atração da noite. Por volta das 23h00min, sobe ao palco a banda mais pesada do Cast, Chaos Synopsis para apresentar seu Death Thrash Metal vigoroso regado com muito peso. Os seus integrantes:  Friggi MadBeats (Bateria), Luiz Ferrari (Guitarra), Diego Santos (Guitarra) e o Jairo Vaz Neto (Vocal/Baixo), fechando essa nova formação do Chaos Synopsis. Com todos já posicionados no palco ‘Jairo Vaz’ nos deseja  uma boa noite e sem perder tempo a banda inicia sua apresentação com a música “Burn Like Hell” impondo muito gás e nos mostrando para o que veio a fazer no palco do “Manifesto”.
Depois da primeira canção ser executada, o ‘Jairo Vaz’ anuncia a próxima música “Gods Upon Making” do álbum “Seasons Of Red” – 2015, onde os guitarmans  ‘Diego Santos’ e ‘Luiz Ferrari’ executavam riffs extremamente densos, e a cozinha de ‘Friggi e ‘Jairo’ se encarregavam de dar muito peso a música. Com uma pequena pausa para respirarmos, o frontman do Chaos Synopsis anuncia mais uma destruidora faixa a ser tocada, que pertence ao seu primeiro álbum de estúdio “Kvlt Ov Dementia” – 2009 e os acordes pesadíssimos davam o inicio a música “Sarcastic Devotion” que ganhava muito peso e fúria na voz do ‘Jairo Vaz.


Logo em seguida o frontman anuncia a próxima música “Zodiac” que pertence ao seu segundo trabalho de estúdio conceitual onde contem histórias de seriais killers o álbum “Art Of Killing’ – 2013, canção regada em sangue e riffs cadenciados e melodias densas. Em seguida o Jairo, frontman da banda anuncia a próxima música pertencente ao seu terceiro trabalho de estúdio “Like A Thousand Suns”. A cada prestação que a banda executava, jogavam muito peso em nosso tímpanos . Só uma pena a casa estar vazia nesse momento, mas a banda se manteve fortemente ativos e continuando seu set poderosíssimo. Com um a pequena pausa, a banda encontra um momento para se descontrair dizendo: “ Essa música vai para o “Rômel Santos”, que assistiu uma vinte vezes o clipe somente para ver a bunda do estuprador.  Com todos os presentes o chamando de “tarado” (rs...). com brincadeiras a parte o frontman anuncia a próxima música “Sons Of Light” do álbum “Art Of Killing”- 2013. Com todo o potencial vindo do palco do Manifesto Bar, infelizmente vamos caminhando para o final da apresentação do Chaos Synopsis.  O frontman da banda agradece a galera presente que ficou até o fim e anuncia a sua última música “Spiritual Cancer” do álbum “Kvlt Ov Dementia”, fechando assim sua apresentação devastadora no palco do Manifesto Bar.


Ressalvas: “Gostaria de parabenizar as bandas envolvidas como: I-ARC, Falange, Magister e Chaos Synopsis, por suas apresentações impecáveis e pelo o profissionalismo de vocês. Aos produtores Rômel Santos e Willian de Oliveira e ao Manifesto Bar por abrirem suas portas para a cena underground.

Mas fico com muita tristeza de ver um cast como esse reunido em uma noite de feriado e não ter um público considerável  para apoiar a nossa cena, que necessita de nosso apoio, pois só assim ela vem a crescer se todos de alguma forma se dispor um pouco do seu tempo.       

Links Relacionados:
Produção:


Bandas: