sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Entrevista com El Santo Asesino


Ola Danilo, muito obrigado por aceitar o convite para está entrevista. Bem cara atualmente vocês estão preparando um novo álbum certo? como está o processo de gravação?

R: Primeiramente a gente que agradece pelo apoio e pelo espaço, sim,estamos no processo de gravação do nosso primeiro full, estamos quase no fim das gravações e esperamos que quando sair Vocês gostem.

O que vocês tem a comentar sobre a nova parceria de vocês com a Diabolicum Records agora que vocês fazem parte do Catalogo de Artista da mesma?

R: Sim, a gente ficou bem feliz pela confiança que a Diabolicum Records depositou no nosso som e esperamos que possamos manter essa parceria por muito tempo, já que acreditamos que vai ser benéfico para nós e para a Diabolicum Records.

Qual são as temáticas do som de vocês?

R: Cara, a gente fala de vários assuntos, críticas sociais, corrupção, a sociedade caótica que a gente vive, religião, futilidade da vida moderna etc..

Quais os materiais já lançados? ja tem um nome definido para o novo material?

R: A  gente tem o Inimigo do meu inimigo que é. Nosso primeiro registro, tem o Ep República do Caos, que estamos regravando já que não gostamos do resultado (Risos), e o material do full, que tem um nome provisório de Interfacturem Sancti.

Quais são as influencias do som de vocês?

R: A gente gosta de vários tipos de som, hardcore, grindcore, death metal, thrash, Black, industrial e por aí vai... A gente Procura não se fechar num. Estilo só, fazer o que gostamos sem medo de ousar.

Por que vocês optaram por um nome em espanhol?

R: Por que o Van Mike é eu tínhamos uma banda que tinha uma música que se chamava El Santo Asesino e nós gostávamos muito dela , Eu fiz a letra baseada numa história em quadrinhos que li e ela estava em espanhol.

E Agenda de shows como está? O que tem a comentar sobre  a cena?

R: A gente não tem feito shows nesses últimos meses devido a gravação ela deve terminar em outubro e então vamos sair para tocar, referente a cena, cara como tudo na vida tem coisas boas e ruins, pessoas bacanas e pessoas escrotas, mais faz parte, sempre foi assim, a gente vai tocando e vai fazendo amizades e contatos com as bandas e produtores.

Cara muito obrigado por responder essas perguntas espero em breve entrevista-lo novamente, o que tem a dizer aos leitores desta entrevista?

R: Novamente agradecemos pelo espaço e pedir para que continuem apoiando a cena indo aos shows, acompanhando as novidades das bandas comprando material, CDs que é isso que faz as bandas se manter e o Underground continuar.