sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Resenha – ‘Choque’ (2015) Anguere


Produção: Anguere
Gravação, Mixagem e Masterização: JB Estúdio
Duplicação: JB Estúdio
Arte: Wildner Lima
Letras & Músicas: Anguere
Nota: 9.0

“Choque”, full lenght do Anguere foi lançado em dezembro de (2015), forjado no Hardcore do interior paulista, cidade de Rio Claro/SP. A banda traz doze faixas recheadas de pura impunidade, sendo soco no pé do estômago por seu peso estridente presente nesse registro.

Os rio-clarenses estão presentes na estrada do Underground desde o ano de 2008, sendo que a banda já foi chamada de (Chaosbleed) e já passou por diversas formações durante sua projeção. Após a entrada do vocalista ‘Tiago Soares’ na banda em meados de 2013, dando estabilidade a mesma e participando do segundo EP da banda em 2014, Anguere se firma e conquista a cena Underground de Rio Claro e ganha notoriedade e visibilidade dos adeptos do Thrashcore.
A arte de capa do ‘Wildner’ presente no full-lenght, já realça o que podemos encontrar dentro de suas doze composições ásperas e rasgadas no verbo recheados de riffs densos e cortantes dando muito peso ao projeto.

O inicio da audição do “Pertado”, abre com um interlúdio curtíssimo e vai dando a ideia do que iremos encontra nas seguintes músicas que estão por vir. A segunda faixa fica a cargo de “Campo Minado”, que junto a primeira e terceira, se fazem presente também no EP (HCRC). Sendo as primeiras faixas iniciais desse registro intitulado (Choque). A terceira composição é a “Corrupção FDP”, além da mesma ganhar um vídeo clipe, tomou proporções grandiosas, até obter uma publicação mundial através de um canal famoso de Hardcore “Worldwide”.
Mais isso não é tudo para dizer sobre Anguere e seu projeto Choque, pois as pedradas no pé de suas orelhas estão somente ganhando vida nas audições, e entre elas estão “Estado de Choque” com uma levada mais gruvada e até é perceptível, uma raiz de baião presente na composição seguida da fortíssima “Espelho Imortal”.

Posso dizer que dentro dessas doze faixas presentes não há como se prender a uma composição especifica, pois o álbum segue uma dinâmica muito forte e carregado de muito peso excessivo, agradando muito ao ouví-las. As canções bem expressivas como “Dominio do Mal”, “Guerra Santa”,os verbos são soltos através da voz impiedosa de ‘Tiago Soares’ que vem acompanhados por todos os arranjos pesados e massivos de Cleber (Guitarra), Luciano (Baixo) e Adriano (Bateria ) dão as composições.  


A oitava audição fica por conta da faixa “Anguere” de quase quatro minutos de pancadaria na orelha, muito sensacional, que te prende muito a esse projeto, nas canções como: “Liberdade”, Mecanisno Corroído”, “Olho Seco” e “Repressão”, trazem um clima muito forte e demonstra as verdadeiras raízes da banda, impondo um trabalho excelente regado de um peso bem preciso ganhando o ouvinte em suas audições do Choque – 2015.


Mas enfim posso dizer que esse projeto se resume simplesmente a um álbum forte com letras impactantes , recheadas de muito peso e veloz, literalmente uma pedrada no pezinho da orelha.

Line - Up:                                                                                 


Thiago Soares - Vocal
Cleber Roccon - Guitarra
Luciano Cecagno - Baixo
Adriano R. Prado

Links oficiais: