sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Blackning & Rebaelliun: Pocket Show de lançamento de seus álbuns


Live Evil - 06/10/16
Textos & Fotos: André Santos
Filmagens: Maria Correia
Produção: Unleasher BR Promotion & Booking
Blackning - Alienation Tour 2016
Rebaelliun - The Hell's Decrees Tour 2016

Com duração de dois meses para a realização desse projeto e entre algumas divulgações, enfim, chegamos a este momento de concretização do mesmo. Com apoio e patrocínio de Eraldo Cobra ( Absolute Master), foi realizado na noite de quinta-feira a união de dois monstros do Metal extremo, em um 'pocket show' que aconteceu no estúdio Espaço Som localizado na região de Pinheiros/SP.

Neste mesmo ‘Pocket Show’, foi reunido duas bandas representantes das vertentes do Thrash e Death Metal, que se encontram em plena divulgação de seus recentes álbuns. Blackning esteve presente para apresentar o seu segundo álbum de estúdio "Alienation" (2016), na comunidade Metal paulista, após sua "Tour" pelo Norte e Nordeste. O mesmo realiza o seu primeiro concerto aqui em Sampa após sua volta de outros estados. E a banda Rebaelliun que veio de sua cidade natal, Rio Grande do Sul/RS, para divulgar o seu recente álbum intitulado de "The Hell's Decrees" (2016) ao lado dos paulistas do grande ABC, onde ambas tocaram composições de seus recentes projetos e canções de álbum anteriores.
Enfim vamos aos registros da noite! Por volta das 20h00min, os serviços da casa se iniciaram e foi onde uma pequena quantidade de público, devido ao espaço restrito do local (tratando - se de um estúdio), foi adentrando ao recinto e o enchendo para apreciar o evento da noite.


Com a casa já lotada, os paulistas do grande ABC, Blackning sobe ao palco do ‘Espaço Som’ por volta das 20h45min. Após a interlúdio, seus músicos, Elvis Santos(Bateria), Francisco Stanich (Baixo) e Cleber Orsioli (Guitarra e Vocal), iniciam seu repertório com a música “Thy Will Be Done”, que logo vem seguida de outra pedrada “Terrozone” ambas de seu primeiro álbum intitulado “Order of Chaos” (2014), já pondo muito gás na galera presente. E já entrando na trinca da noite o ‘Francisco’ segura os acordes nas cordas de seu instrumentos (Baixo), onde o frontman e guitarrista ‘Cleber’ chama a galera presente dizendo: “Eh ai São Paulo qual que é? Vamos mostrar como que se agita ae...”, o mesmo incita a galera agitar, e sem perder tempo eles emendam a canção “Dyed In Blood”, uma porradeira levando a galera a agitar constantemente com sua performance extraída do palco.

Depois dessa trinca da noite a banda vai seguindo com seu repertório de músicas, não dando tempo para o público presente respirar, são pancadas uma atrás da outra em nossos ouvidos que logo é emendada por “Silence Of The Defeat”, ainda de seu primeiro Full-Lenght. ‘Elvis’ (Batera) desce a mão em seu instrumento com apoio de‘Francisco’(Baixo) e vão dando muito peso a composição através de sua cozinha e, o ‘Cleber’ (Guitarra) se encarrega do campo harmônico, dando muito cadenciamento e gás na música, além de interpretá-la com muita energia.

Ao fim dessa apresentação, o Blackning é bastante ovacionado e seu frontman aproveita a ocasião para agradecer a cada um do público presente no recinto, por terem saído de suas casas em plena quinta-feira. Cleber aproveita para dizer: “É o seguinte estamos aqui para divulgarmos o nosso segundo álbum, que saiu dia 1º de Junho! E as próximas músicas a serem tocadas são as que abrem o disco”. E sem perder tempo os riffs rasgados de “Street Justice” são despejados em cima de nós.
E ao término da mesma o Batera ‘Elvis’ se encarrega de chamar a próxima canção através de seus bumbos, marcando os compassos de “Mechanical Minds” e logo na sequência as cordas entram em ação dando todo o vigor a composição, onde o baixo de ‘Francisco” se destaca em todo ambiente.       


E eis que a sonoridade extraída pela banda vai ganhado nossas almas e nos levando a um clima de agitação pura, através de suas duas composições presentes no álbum “Alienation” (2016), fechando o primeiro bloco de sua prestação, que só vai nos instigando a cada momento de vê-los destrinchando riffs e acordes pesados suando como porradas sonoras em nossos tímpanos.
Vamos seguindo para o 2º bloco de músicas compostas pela banda. Mas antes mesmo de seguirem com o cronograma de seu “SetList”, a equipe de som avisa que ouve um pequeno problema na audição que vinha sendo gravada e o mesmo pedem para a banda iniciar as duas primeiras canções que abriu o evento, e fomos mais uma vez presenteados por duas devastações do Thrash Metal executado pelo Blackning. 

Mais ao fim das execuções de “Thy Will Be Done” e “Terrozone”, o Blackning segue o seu repertório distrinchando mais duas composições de seu 1º álbum de estúdio, onde o frontman da banda anuncia a próxima música “Censored Season”, levando a galera agitar muito aos riffs cortantes e interpretações que se variam entre o inglês e português pronunciado a composição, dando uma riqueza bem consistente a sua interpretação...
...Francisco! “Do caralho estarmos aqui em São Paulo. Estamos divulgando o nosso novo álbum Alienation” (com algumas brincadeiras a parte rolando) o baixista agradece a galera presente apoiando o trabalho da banda e cena Underground. E o próprio músico anuncia a próxima devastação da noite “Death Row” já conhecidíssima pelo ‘Thrasherbangers’ nacionais por seus riffs serrados de muita energia e por compassos bem marcantes de Elvis (Batera) que dita o peso da canção. E para fechar o 2º bloco da noite a banda emenda mais uma composição de seu recente álbum, que está sendo divulgado nessa noite. A composição “Devil’s Child” ganha vida em riffs ultra-rápidos e refrões se tornavam densos com o apoio de ‘Francisco’, no Backing Vocal.


Durante a noite fervorosa que o Blackning vinha apresentando no palco do ‘Espaço Som’, eles caminham para o seu 3º e último bloco de prestação de suas composições, sendo elas “Against All” e “Unleash Your Hell” ambas de seu 1º álbum de estúdio intitulado de Order of Chaos lançado em 2014. E sua derradeira canção da noite, “Corporation” de seu 2º projeto de estúdio que traz o nome de “Alienation” lançado neste ano de 2016.

Ao fim de sua prestação devastadora, a banda do grande ABC paulista nos deixou com mais vontade de vê-los destrinchando seu repertório, mas ainda tínhamos mais uma atração pela noite. Vinda diretamente do Rio Grande do Sul/RS, Rebaelliun chega para apresentar a divulagação “The Hell’s Decrees Tour – 2016, que faz a referência ao seu recém projeto de estúdio, que carrega o próprio nome mencionado acima, idealizado pela banda Rebaelliun.


Por volta das 22h00min, os músicos Sandro Moreira (Bateria), Fabiano Penna (Guitarra), Lohy Fabiano (voz/baixo) sobem ao palco do “Espaço Som” com uma grande participação em sua formação, falo de ‘Adriano Martini’ guitarrista da banda (Exterminate). Assim fecham a line-up do Rebaelliun. Depois de uma breve introdução, os gaúchos do Rebaelliun iniciam seu set vigoroso com duas composições que estão presentes no seu novo projeto “The Hell’s Decrees”, “Affronting The Gods” e “The Path Of The Wolf”, ambas emendadas demonstrando muita agressividade e cadenciamento nas cordas, fora os “Beats Best” destruídores que ‘Sandro’ (Batera) realizava com muita energia e o Frontman ‘Lohy’ se encarregava de dar tijoladas em nossos tímpanos com seu vocal canalizado no “diafragma” (O diafragma é um músculo estriado esquelético extenso que separa a cavidade torácica da abdominal.)

Depois dessas duas pedradas, o frontman ‘Lohy’ diz: “Depois de tanto tempo, estamos aqui de novo na capital paulista! Muito obrigado velho (bastante ovacionado pela galera presente), já vimos tantas galeras das antigas, isso aqui não é um show é uma celebração, uma festa..., muito obrigado”.


Ao fim dos agradecimentos, a banda segue com o seu 2º bloco de músicas, revivendo os tempos antigos do álbum “Burn the Promised Land" lançado em 1999. Com “Spawning The Rebellion” um pelotaço das antigas onde o ‘Penna’ e seu convidado ‘Adriano Martini’ se reservavam em solos incandescentes inflamando a galera presente. Mais não ficou somente por ai, teve outras composições presentes deste mesmo “Petardo”. Lohy: Alguém gosta de Death Metal aí ? Então faz barulho ”e, são destrinchados em nossas almas como: “And The Immortals Shall Rise” e Killing For The Domain”, duas composições destruídoras de moleiras, que fecham o seu segundo bloco de prestações.

Antes mesmo de entramos no 3º bloco de composições que serão tocadas nesta noite inflamada pelos gaúchos do Rebaelliun, seu frontman ‘Lohy’ agradece ao Espaço Som, equipe técnica ao ‘Rodrigo’, ao Blackning por ter realizado um show animal e, ao ‘Eraldo Cobra’ da (Absolute Master),por todo o apoio para acontecer essa realização e aos amigos ‘Cleber Orsioli’ (Blackning) e ‘Fabiano Penna’(Rebaelliun) que correram atrás para isso acontecer!


Dando seguimento com a realização do lançamento do álbum “The Hell’s Decrees”, a banda aproveita para tocar mais uma música a “Dawn Of Mayhem”, que vêm carregada de riffs serrados e contagiantes executados pela dupla de “Guitarmans” e cozinha de ‘Sandro’ (batera) se encarregava de trazer todo peso através de seus (beats best) ao lado de ‘Lohy’ (Baixo/Vocal), que mandava a ver com sua voz poderosíssima metralhando nosso corpos já encadescentes de tanta emoção em vê-los tocando aqui em sampa novamente. 

E logo na sequência veio unida de riffs e acordes matadores a composição “Unborn Consecration”, onde o Srº ‘Penna’ puxava a galera presente com seu riffs serrados, tirando grandes “urros” do público presente, fora as performances feitas por esses grandes guitarristas que se duelavam em solos fervorosos. E sem perder o clima imposto pelo Rebaelliun, eles emendam a música “Day Of Suffering”, um dos pontos altos do evento onde a banda unia o cadenciamento de seus instrumentos, com partes um pouco mais lenta, mas sem deixar o peso brutal de lado, aliás o frontman da banda constantemente fazia as composições soarem como verdadeiras tijoladas em nossos ouvidos.


Ao fim desse set devastador a banda segue para o seu 4º bloco de composições e, sem muito alisamento já manda um porradeira “Legion”, segunda composição presente em seu recente álbum de estúdio lançado em 2016. E se você pensa que o soco em nosso pé do ouvido estava se acabando, se engana, a porrada veio por mais uma composição chamada de “Rebellion” e ao fim dela outra pancada em nosso tímpanos surge através de The Legacy Of Eternal Wrath”.
Ao fim dessas duas apresentações feitas pelos gaúchos do Rebaellium, vamos caminhando para o fim de sua prestação da noite. Mas, antes mesmo do fim sob os brados de (É a hora de Guerra São Paulo), foi anunciado “At War” pertencente ao seu primeiro EP de 1999, onde a banda se encarrega de fechar sua apresentação no palco do Espaço Som.



Ressalvas: Gostaria de agradecer ao Estúdio Espaço Som, pela estrutura sempre fornecida às bandas que passam por lá, ao Eraldo Cobra da “Absolute Master” por te proporcionado a satisfação de cada Metalbangers presentes ali envolvidos neste show. E a galera das bandas presentes como Blacking e Rebaelliun, ambas de vertentes diferentes, mas unidas em um só proposito, executar, defender e propagar o Metal Nacional. Muito prazeroso encontrar duas máquinas do Metal Brasileiro de propostas musicais diferentes, tendo a capacidade de desenvolver músicas poderosas e insanas dentro de seus contextos! PARABÉNS galera. 

Trechos do show no link abaixo:


Links oficiais: