sexta-feira, 18 de maio de 2018

Resenha Bucovina - Nestramutat


Achei que já havia resenhado o primeiro álbum desta ótima banda romena que foi lançado em 2013, (Sub Stele) afinal eu sempre mencionei para meu circulo de conhecidos este grupo como uma das grandes revelações do Folk Metal nos últimos anos. E não é pra menos, pois em pouco tempo o grupo já conseguiu moral o bastante pra vir no já tradicional evento, THORHAMMERFEST, que acontece aqui na nossa terra. A razão do grupo ascender tão rapidamente é muito simples, composições simples mas criativas. Composições com um limite de tempo de 04 minutos, quase que usando uma fórmula prescrita, mas sempre alternando as melodias e nunca soando maçante como o Folk Metal algumas vezes pode soar se não for executado de maneira, digamos, “inteligente”. Vou usar um exemplo pessoal: por muito tempo fui aficionado pelo gênero que o grupo romeno pratica. Com o passar do tempo e quanto mais bandas conhecia, percebi que muitas usavam os mesmos riffs, caiam na mesmice e chatisse, tirando grandes grupos do gênero, tais quais, Eluveitie, Korpiklaani, Ensiferum, Metsatoll, outros grupos pareciam cópias mal feitas e acabei me afastando deste sub-gênero tão agradável e dançante. Bucovina, trás todos os pontos positivos, apesar de não ser tão dançante como Korpiklaani ou tão místico como Eluveitie. Apesar de achar o primeiro álbum ainda melhor que este novo trabalho, que soava um pouco mais agressivo, mais puxado para linha do Viking Metal, não é possível negar que a banda ganhou consistência e soa mais madura. Pra mim é impossível citar uma música destaque, todas soam ótimas e são um prato cheio pra quem carece de Folk Metal nos dias atuais.
 

 
Ah, sobre a capa do álbum. Uma bela arte que por si só já chama a atenção e requisita a audição do álbum. Arte condizente com a qualidade musical. Ouçam sem remorsos, e jogando algum game de RPG de preferencia, heh!.
 
 
Formação:
Crivat - Guitar, Vox
Luparul - Guitar, Vox
Mishu - Drums
Jorge - Bass
 
Contato:
 
Mais Informações:
 
 
Autor da Resenha: Guilherme Thielen(Niflheim)