domingo, 5 de agosto de 2018

Resenha Soturnus - Of Everything That Hurts


Com dois álbuns na bagagem "When Flesh Becomes Spirit" e 
"Of Everything That Hurts" e vindo direto da Paraíba, Soturnus é o tipo de banda que não posso deixar de citar como sendo uma das grandes bandas que já conheci dentro do cenário nacional. Formada no ano de 2000, na cidade de João Pessoa(PB), Soturnus conta com a atual formação: Rodrigo Barbosa nos vocais, Andrei Targino e Eduardo Borsero nas guitarras, Guilherme Augusto no baixo e Eduardo Vieira na bateria. Dentro do gênero  Doom Death Metal. No seu mais recente lançamento no ano de 2014, o álbum intitulado "...Of Everything That Hurts", a banda mostrou seu total talento!. Desde composição musical, uma vez que os integrantes buscaram elementos que eu julguei psicodélico e progressivo, mixagem dos instrumentos  e consequentemente do álbum, cadência, melosidade e feeling, entre muitos outros aspectos que estarei citando a seguir. A afinação e distorção das guitarras encaixaram de uma forma que deixou o timbre do contrabaixo mais sombrio ao fundo e abrindo passagem para a pedreira sonora transmitida pela bateria. Tudo muito bem calculado. Logo de primeira já me apaixonei pelo trabalho!. O álbum não ficou dos mais técnicos  em questão de velocidade, mas convenhamos que técnica é o que não falta neste álbum, porém a brutalidade dos três tipos de vocal de Rodrigo Barbosa são megalomaníacos. Total veracidade, elementos dentro do Black Metal e Death Metal em seu vocal que deixa um gostinho de "quero mais", sem falar nos momentos em que usa vocal limpo sinceramente, é a parte em que deixa a música mais misteriosa e linda, não que os vocais brutais não deem esse brilho, só que para um fã de Opeth, isso é essencial para se deixar perfeito um trabalho. O tempo das guitarras e seus solos são elementos que vêm do Melodic Death Metal, algo muito bem trabalhado, nisso eu destaco a faixa "The shame Within", essa faixa tem um dos solos mais belos e mais bem executados dentro desse álbum, se não um dos que eu já ouvi em toda a minha carreira de Headbanger. O contrabaixo tem seu papel importante em todo o álbum, porém nenhum destaque relevante se não a base das músicas fazendo com que a produção passe uma mensagem sombria  e é exatamente o que acontece. Eu gostaria realmente de escrever muito sobre esse trabalho, inspiração é o que não falta, pois é belo demais. Mas deixo aqui a indicação, aproximadamente uma hora de porrada. 


Tudo perfeito demais. Se parasse para descrever tudo o que sinto ouvindo este álbum , com certeza deixaria esta resenha cansativa demais, mas enfim. Soturnus é a banda perfeita para os que procuram valorizar um trabalho que resgata a cultura do metal nacional. E para os ouvintes que buscam valorizar nosso cenário, eis uma banda que necessita de apoio total dos fãs!. O álbum conta com nove faixas ensurdecedoras: "I Wish I Knew", "The Shame Within", "The Doors of Perception", "Of Everything That Hurts", "House of Hatred", "Cacophony of Wonderful Sounds", "Empty Man", "Leaving" e "Another Lonely Day"  respectivamente.

Dou destaque às faixas "Of
Everything That Hurts"e "House Of Hatred", que são as que mais me agradaram,  mas na verdade todas as faixas são potencialmente excelentes. Soturnus já deixou de ser promessa há muito tempo, agora basta ser reconhecida e valorizada pelos amantes do metal!.

  
Formação:
Rodrigo Barbosa - Vocals
Andrei Targino - Guitar
Eduardo Borsero - Guitar
Guilherme Cavalcanti - Bass
Eduardo Vieira - Drums

Contato:

Mais Informações:



Autor da Resenha: Leonardo Reis