quinta-feira, 14 de março de 2019

SPIRITUAL HATE: Entrevista exclusiva com F. Blackmortem sobre o atual momento da banda




Com nova formação, preparação de novo álbum e muitas novidades, o SPIRITUAL HATE começou 2019 com tudo. Hoje conversamos um pouco com o guitarrista F. Blackmortem para saber deste atual momento da banda, confira:

CHAMA DO METAL
Primeiramente muito obrigado pela entrevista é uma honra para nós estar conversando com uma das principais bandas do Death/Black Metal brasileiro. Bem, o Spiritual Hate ganhou um enorme destaque com o álbum “Diabolical Dominium”, conte-nos, como foi o processo de composição e gravação deste trabalho?

F.Blackmortem: Saudações a todos ! Eu que agradeço pelo convite.
“Diabolical Dominium” demorou dois anos para ser concluído fizemos pré-produção do disco pra ter uma visão geral do material que estávamos produzindo.
Processo de composição foi bem tranquilo quando entramos em estúdio já tínhamos todas as músicas escritas. Trabalhamos com excelente músico e produtor Victor Prospero cuidou muito bem da produção de todo material pegamos firme nas partes de arranjos ele também gravou o contrabaixo e algumas vozes limpas pelo disco.
Tivemos um grande baterista Gabriel Guerra nos ajudando fez um trabalho incrível, a mixagem e masterização ficou por conta Marcos Cerutti que mandou muito chegou em um resultado mais que esperado também fez toda a parte gráfica o cara é genial.
 
CHAMA DO METAL
A banda está passando por alguns processos de mudanças na formação. Fale um pouco sobre elas, aproveitando a pergunta, na opinião de vocês, isso é benéfico ou atrapalha um pouco para o andamento dos projetos?

F.Blackmortem: Mudanças na formação é algo inevitável na maioria das vezes é ruim devido todo o planejamento traçado, mas sempre seguimos nosso caminho, estamos com um time mais sólido acredito muito no potencial desses caras são músicos talentosos que sobreviveram a toda dificuldade do underground.
O lado positivo toda vez que entra membro novo acaba sendo evolutivo para banda sangue novo trás aquela velha vontade de destruir tudo novamente.     
Fale um pouco sobre a formação atual.
Bom! Eu e o M.Hellhound (Guitar & Vocal) fundamos a banda, estamos nessa há 11 anos,
Marcelo Noktuz é o novo baixista ótimo musico tocou em algumas bandas pelo underground, nos conhecemos há algum tempo temos uma boa afinidade fiz o convite a ele e deu tudo muito certo.
Malus é um excelente baterista temos uma amizade de 10 anos e esse foi o momento certo pra ele se integrar a banda, foi baterista do Agouro e Ocultan, além de outras bandas bem conhecidas, também é produtor estamos em outro projeto juntos caiu como uma luva para nós.


CHAMA DO METAL
Como foi a recepção do público acerca do “DiabolicalDominium”? Houve uma grande procura?

F.Blackmortem: Cara esse disco realmente nos levou a outro patamar trabalhamos muito pra isso, vendemos 500 copias desse CD, lançamos nosso próprio selo, Abiosis Records, fiz algumas trocas com selos interessados vendemos mais de 100 camisetas eu agradeço muito por todo apoio.
Tocamos em festivais maiores com bandas gringas lançamos o vídeo clip da música “Awating Fucking Jesus” participamos de algumas seletivas de melhor disco de 2017 ficando entre as 10 melhores. Nos realmente não esperávamos por toda essa repercussão!

CHAMA DO METAL
Ouvindo este álbum, vemos uma grande evolução, comparado ao EP “Preludium Ad Incursione”. Na opinião de vocês, a que se deve esse fato?

F.Blackmortem: Quando gravamos esse EP seria somente uma demo não tínhamos experiência com estúdio, acabou se tornando um split com o Imortal Perséfone, houve interesse de selos de fora do país daí lá fora saiu em formato EP por isso essa versão é praticamente impossível de encontrar aqui no Brasil, veio pouquíssimas copias pra nós.
Com o “Diabolical Dominium” o processo foi bem diferente as músicas estavam mais maduras fizemos pré-produção tivemos um produtor trabalhando conosco já tínhamos em mente o como queríamos que o disco soasse e quando terminamos superou muito nossas expectativas.

CHAMA DO METAL
Como está a cena de Diadema/SP? Há muitas bandas além do Spiritual Hate? Poderiam citar algumas aos nossos leitores?

F.Blackmortem: Em relação a bandas, existe uma cena Grindcore bem forte pessoal sempre se reúne faz uns eventos legais. Mas pelo lado mais obscuro temos o AMORT (Black Metal), INAFTOR (thrash 80`s) REATTOR (Thrash Metal) e algumas outras bem foda! 

CHAMA DO METAL
E quanto a bares e casas de shows? Há bastante espaço para tocar ao vivo?

F.Blackmortem: Diadema atualmente está bem barulhenta tem uma nova casa chamado Container Pub e está rolando bastante shows é um lugar bacana para o pessoal da cena local se reunir e tomar umas brejas. Tem eventos de todas vertentes do metal está se tornando referência no cenário paulista.

CHAMA DO METAL
Agora com esta nova formação, podemos esperar um novo álbum em 2019?

F.Blackmortem: Sim! Já estamos pré-produzindo desde o final do ano passado o conceito é a inquisição. Terá letras sobre heresias, tortura, morte e satanismo.

CHAMA DO METAL
Muito obrigado pela entrevista. Deixamos este espaço para as considerações finais.

F.Blackmortem: Agradeço pelo convite e interesse em divulgar nossa mensagem. Estamos trabalhando muito para que tudo aconteça como estamos planejando aos deathbangers que não conhece o Spiritual Hate siga-nos no Facebook, Instagram, veja nossos vídeos no YouTube, fique por dentro das novidades.
Vida longa ao Chama do Metal permaneça sempre apoiando metal nacional.

SPIRITUAL HATE é:
Magnus Hellhound – vocal e guitarra F. Blackmortem – guitarra Marcelo Noktuz – baixista Malus – Baterista

LINKS: Facebok/spiritualhate
Instagram/Spiritualhate_official
Youtube/spiritualhate

Um comentário:

  1. Fudido Fabiano , todos têm nosso respeito e admiração pelo trampo do Spiritual Hate, hails metal nacional irmão.

    ResponderExcluir