segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Resenha: “Take One” (Ep – 2016), LOUDER



Nacional
Nota: 8,0

O quinteto gaúcho vindo de Veranópolis/RS, estreia com o seu primeiro projeto intitulado “Take One”. O que nos traz cinco faixas, na qual suas composições transitam entre o Hard/Heavy e Rock alternativo, mesclando influências dos anos 80/90, com pitadas das modernidades atuais.

Logo de cara é muito perceptível que o Louder e seus músicos possuem muito talento, com um instrumental bem coeso, embora bem simples e linhas de vocais interessantes, tudo isso aliado a uma ótima produção por parte de ‘Ricardo Ledur’ (Baixista da banda), e além de ter uma excelente bagagem musical, o cara tem uma vasta experiência neste assunto, pois o mesmo transitou entre o Jazz, Bossa Nova e música Lírica enriquecendo muito seu conhecimento. E também contou com a co-produção de ‘Marinho’, demonstrando que banda tem um grande potencial e nesse projeto há um peso moderado nas composições que fazem a diferença nesse EP.

No projeto o quinteto apresenta um trabalho de qualidade, desde a arte gráfica e gravação que se mostra limpa e extremamente bem cuidada, como todos os instrumentos bem gravados e audíveis, porém os timbres dentro desse plano soam bem crus respeitando a sonoridade de cada instrumento e dos vocais.

As linhas presentes nas cinco faixas do Louder soam muito bem com a personalidade da banda, mostrando um senso melódico muito bem feito e extremamente profissional. Pois as audições deste “Petardo” se iniciam bem cativante.


A primeira faixa responsável da abertura do “Debut” fica cargo de “Last Memory” com linhas simples e harmoniosas a tornando cativante por seus refrões grudentos já simpatizando o ouvinte para as próximas canções que estão por vim.

“Temple Of Desire” é a segunda composição presente nesse plano, representada por ótimos riffs grudentos que ficam pulsando constantemente em nossos corpos, além dos riffs aqui soarem um pouco mais azedos e mais groovada com algumas pitadas densas, deixando-a um pouco mais pesada.

A terceira faixa é a “Copper’s Synapse” e pode dizer que é uma das melhores presentes nesse projeto, uma canção bem elaborada e cativante que nos envolve em seus ritmos, as guitarras são bem sacadas e bem trabalhadas na construção dos acordes, e a cozinha de ‘Ledur’ e ‘Felipe’ ditam a rítmica da composição.

A quarta audição fica sobe a responsabilidade de “No More”, que soa como uma verdadeira balada que se destaca por seus excelentes arranjos e de uma boa interpretação do vocalista ‘Kid Sangali’, que da um toque incrível a composição sem torná – la açucarada demais, e é uma das canções repletas de solos incríveis e cercadas de refrões pegajosos que não saem de sua cabeça.

“Blind Faith” é a responsável pelo fechamento do EP, demonstrando um estado mais melódico, representado pela banda, onde os arranjos são muitos presentes e alguns elementos são muito evidentes na composição onde o ‘Kid Sangali’, extrai todo o seu sentimento demonstrando todo seu potencial.

Os gaúchos nos presenteia com um excelente EP de estreia e esta é a prova que o futuro pela frente será promissor, resultando grandes frutos para esses gaúchos.

Line-up:

Kid Sangali – Vocal
Gio Attolini – Guitarra
Mauricio Barbieri – Guitarra
Ricardo Ledur Gottardo – Baixo
Felipe Saretta – Bateria

Tracklist:

1. Last Memory
2. Temple Of Desire
3. Copper’s Synapse
4. No More
5. Blind Faith [Part I]

Links Oficiais: