quarta-feira, 2 de maio de 2018

Mortiferik - Empire of Sadness Returns (2013)


Em atividade desde 1998, o projeto de Anderson Morphis, Mortiferik, é do estado do Rio de Janeiro, e o gênero que é proposto neste projeto (composto somente por Morphis) é o Funeral Doom/Death Metal. Com duas demos lançadas uma em, 1998 e outra em 2012, (Memory e Agony in Silence respectivamente) Anderson Amorphis nos presenteou em 2013 com o lançamento do EP, Empire of Sadness Return, marcando presença definitiva na cena Doom Metal, cena que é pouco valorizada pela maioria dos headbangers.
 
O EP começa com uma breve intro, com um pouco mais de dois minutos de duração, com uma vocalização mais aproximada do DSBM, mudando logo depois para uma narração bastante chamativa, prendendo o ouvinte logo de início. Gostaria primeiramente de exaltar o vocal de Anderson, sendo as partes narradas seu ponto forte, lembrando brevemente Fernando Ribeiro, do Moonspell. 


Após a intro, temos “Death Infection”, que soa talvez demasiadamente arrastada demais, obviamente que o gênero requer isso, mas talvez pela sua duração de um pouco mais de 9 minutos ela precisasse de algumas passagens mais criativas e um pouco mais rápidas. Mas não se engane, não é uma canção meia boca, é uma excelente canção, e faz jus tremendo ao gênero. 
 
Então chegamos a obra do EP, “Energies of Darkness” é carregada de escuridão. Canção densa e pesadíssima, com belos riffs e uma percussão digníssima de elogios. Chegando ao derradeiro final da canção ela o prende novamente por meio de sussurros de Anderson e um belo trabalho atmosférico do teclado. 


O EP termina de forma muito envolvente assim como ele começou, com narrações e uma bela passagem cantada em português. Isso faz todo o diferencial se você quer realmente ouvir algo que saia dos dogmas normais de uma canção de Heavy Metal, pois penso que as bandas que tocam quaisquer subgêneros do Heavy Metal e cantam em nossa língua de origem devem ser exaltadas, ganhar um destaque á mais. Sensacional o fechamento deste EP que deixa ansioso para ouvir um álbum inteiro. Sabemos que é um longo e árduo caminho, ainda mais para quem compõe por cota própria e de maneira totalmente independente. Ouvir Empire of Sadness Returns requer uma preparação especial, uma audição atenciosa, para não perder nenhum detalhe da arte que esta sendo proporcionada neste belo EP. Vale a pena os 22 minutos de audição, Confira ouvinte/leitor!.

  
Formação:
 Anderson Morphis

 Mais Informações:


Autor da Resenha: Guilherme Thielen (Niflheim)