quarta-feira, 16 de maio de 2018

Resenha Dying Out Flame - Shiva Rudrastakam



Nesta resenha lhes apresentarei o que temos de melhor no cenário brutal do Metal. Fica até um pouco difícil descrever, de forma precisa o gênero desta banda: uma vez que algumas de suas músicas tendem à oscilar bastante do Oriental Metal e, noutro momento, as canções partem para o Brutal Death Metal. Uma constante oscilação quanto à identidade dentro de suas canções. A banda da vez chama-se "Dying out flame". O curioso é que esta banda é oriunda do Nepal. Mais paradoxo do que isso é encontrar uma boa banda do Afeganistão, e olha que não faltam bandas de lá, mas enfim, voltemos ao foco primordial. Dying out flame está em ação desde o ano de 2011, e desde então somente lançou este riquíssimo trabalho intitulado "Shiva Rudrastakan. Banda formada por um quarteto no qual, tem em suas letras, abordagens sobre, por exemplo, literatura védica; espiritualismo; filosofia hindu; entre outros temas. Há quem diga que a banda ainda execute um Tech-Death Metal mas, não que eu discorde só que, acontece que a banda mostra um propósito um tanto quanto diferente da rotulagem anterior citada dentro da execução de suas canções. Isto pois Dying out flame, em muitas das vezes, remete e muito à bandas como Krisiun e Deicide: seja pela brutalidade dos acordes e da pegada da bateria, seja pela brutalidade do vocal de Aabeg Gautam, onde o mesmo incorpora um verdadeiro "Deathmetaller" na execução de seu vocal para com as canções, tornando-se um "demônio" quando cantando. O álbum conta com seis faixas das quais são precisas e brutais. De passagem, temos algumas partes onde percebemos a influência de músicas orientais/islâmicas/hindus, compondo uma base melódica nas canções dos nepaleses (mas reforçando: só de passagem mesmo!). 
 


As canções mostram-se grotescas e extremas, ou seja, a total brutalidade e insanidade fora alcançada pelo grupo. Por hora é só isso o que eu posso relatar acerca do que pude ouvir e interpretar. Mais preciso do que isso, somente parando e ouvindo este belo trabalho, e preparando o psicológico também. Para fãs de Canniball corpse; Dying fetus; Nile; Behemoth; Belphegor; etc, Dying out flame é uma ótima escolha para começar bem a semana!.  
 
Faixas:
1. Praise of the Omnipresent One
2. Shiva Rudrastakam
3. Eternal Mother of Great Time
4. Vayuputra
5. Maisasura Maridini
6. Trinetra Dhari (Three Eyed One)
 

 Integrantes:
Bikalpa Chaudhary - (Guitarra base/solo))
Prachanda Amatya - (Bateria)
Saujanya Pahadi - (Guitarra base/solo)
Aabeg Gautam - (Vocal e Contrabaixo)
  
Contato:
 
Mais Informações: 
Autor da Resenha: Leonardo Reis