quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Resenha – “Mundo de Cadáveres” - 2015 Luxúria de Lillith

Produção, arte e fotografia: Alysson Drakkar
Mixagem e masterização: Anorsan & Roslowski

Nota: 9.0

‘Mundo de Cadáveres’ (2015), transpira suas últimas formas de vida, em uma tragédia aniquiladora. Seus últimos desolados lutam pela sobrevivência em um mundo onde o desespero, a insanidade e a morte, são suas últimas esperanças.

Em nosso Território Nacional temos uma área de 8 514767,049, km quadrados, e dentro dessa imensidão nos encontramos em um pouco mais de 200 milhões de habitantes, sendo o maior País lusófano, além de ser uma das nações mais multiculturais e etnicamente diversas, em decorrência da forte imigração, oriunda de vários locais do mundo.
Em 27 estados que podem ser divididos em capitais, distritos e subdistritos, encontramos várias culturas e costumes entre seus povos. Dentro desses costumes, a principal forma de confraternização e aproximação de seres humanos entre si, ainda é a música e, cada região tem seus gêneros culturais ou até mesmo os subgêneros desenvolvidos com o tempo pelo o homem, correspondente a sua localidade.

Se pararmos para olhar dentro de nossa cultura nacional, iremos nos deparar com uma musicalidade que foge um pouco dos “padrões da sociedade”, me refiro ao gênero Metal, e suas vertentes mais extremas. Nós ainda temos um costume errado sobre alguns estados Brasileiros não terem representantes do Metal, muito pelo contrário, hoje encontramos excelentes bandas vindo de todos os estados que conhecemos nos causando grande admiração a mesma.

Goiás, por exemplo, é um dos estados brasileiro que é conhecido por sua musicalidade caipira, mas também temos o gênero Metal muito presente no estado, representado por ótimas bandas. E nessa região temos um grande representante da música extrema para os necrobangers apreciadores do lado obscuro dos cânticos.


Goiânia, seu berço negro foi criado a horda Luxúria de Lillith por ‘Alysson Drakkar’ em meados de 1998, com intuito de realizar um Black Metal extremo envolvente, canalizando temas de ocultismo. Nesse mesmo período os necroamantes são presenteados com “Os Ritos Nocturnos da Luxúria”. No ano seguinte ‘Drakkar’ lançou seu 1º Cd Demo “Luxúria de Lillith”, e desde então a horda lança anualmente materiais que variam entre demos de estúdio, registros ao vivo, entre Cds, K7s e conta com quatro discos oficiais de estúdios.
O bancana entre todos os registros obscuros da horda é preocupação de trazer em seus cânticos a nossa língua portuguesa desenvolvida em cima de riffs frios e mórbidos, onde podemos ver nesse registro abaixo.


“Mundo de Cadáveres”, se iniciou em 2011, mais como a sua finalização se deu depois de quatros anos, marcou esse registro como álbum bem obscuro e trágico, trazendo muita massificação, deturpação e desgraça a 13 faixas presentes nesse “Debut”, entre elas quatros interlúdios aumentando mais ainda o clima sombrio empregado nesse projeto, muito bem gravado e mixado.Logo nas primeiras audições notamos que estamos diante de uma horda diferenciada. Drakkar (Bateria/Vocais), Larakna (Guitarra/Vocais) e Arkana (Baixo) mostram em 13 faixas obscuras, que a cena Black Metal ainda está longe da estagnação.

Alem dos três cânticos que iniciam o ‘Petardo’ serem extremamente brutais e densas de riffs gélidos, na quarta composição a horda traz muita harmonização e melodia na “Severa Punição”, levando o ouvinte ao caminho sombrio. “Caos e Destruição” que mescla a bateria raivosa de ‘Drakkar’ e vocais que vão do contemplativo ao desesperado.


Com linhas de guitarra bem sacadas e um pouco mais contidas, mas repletas de riffs pesados fica a cargo do cântico “Pestilencia”, que é uma daquelas faixas que devem ser ouvidas várias vezes. A próxima destruição fica por conta de “Véu Negro”, e logo em seguida somos contemplados com mais um cântico “Aroma da Morte”, cheio de melodias e riffs arrastados, dando um clima atmosférico que te prende na audição dando mais vontade de ouví-la novamente. Além das obscuras composições, ainda temos as faixas presentes como: Névoa de Cinza” e a “As Trevas um Dia lhe Chama” e mais as quatros interlúdios registrados como: “Abominados”, “Processo de Morte”, “Necrofagia” e “Mundo de Cadáveres”, onde ganha os necrobangers ouvintes com seu instrumental variado e bem trabalhado, que se torna ainda mais notório com boas timbragens e mixagem. Esse sombrio álbum revela umas das melhores hordas do Black Metal Nacional, e é para ser ouvido por diversas vezes, pois esse projeto traz uma sonoridade extremamente interessante e bem produzida.

Vale ressaltar que a horda se encontra em Tour “Lilitus Black 2016” divulgando seu último e recente álbum de estúdio, já com data marcada em São Paulo, que acontecerá no dia 16 de Setembro no Morfeus Club localizado na região do Centro/SP, fazendo suas cerimoniais aqui na capital.

Line-up Luxúria de Lillith:

Drakkar – Bateria/ vocais
Larakna – Guitarra/ vocais
Arkana – Baixo / backvocal

Tracklist:

1. Perpétua Escuridão
2. Abominados
3. Vermes
4. Severa Punição
5. Processo de Morte
6. Caos e Destruição
7. Pestelência
8. Véu Negro
9. Aroma da Morte
10. Necrofagia
11. Névoa de Cinzas
12. As Trevas um Dia lhe Chama
13. Mundo de Cadáveres


Links: