terça-feira, 24 de abril de 2018

Resenha Hate Eternal - Fury & Flames


Hate Eternal talvez dispensa muitos comentários devido já ser bem conhecida, especialmente por parte do grande músico/produtor Erik Rutan, guitarrista e vocalista, que já fez parte da banda Morbid Angel e Ripping Corpse, e produziu para bandas como Cannibal Corpse, Aeon, Six Feet Under, Krisiun, Nile, etc. tendo seu nome bastante associado ao que diz respeito a Death Metal.

Sendo  o quarto álbum da banda, lançado em 2008, que já possui seis na bagagem, Fury & Flames é um verdadeiro rolo compressor, com uma sonoridade que beira quase ao Brutal Death, sujo, veloz e dando uma ênfase a técnica que vem aumentando a cada álbum lançado (vale comparar a cronologia parar perceber a evolução sonora da banda).

Com uma bateria que soa como uma metralhadora de alto calibre, talvez o instrumento mais evidenciado no álbum devido a mixagem, acompanhada por guitarras com riffs caóticos como apresentado nas faixas um e dois, “Hell Envenom” e “Whom Gods May Destroy”, que dão uma porretada de boas-vindas ao ouvinte, preparando-o para o resto do álbum.

Pedais duplos contribuem para as músicas mais “lentas”, pode assim dizer, como mostrado na faixa três “Para Bellum”, e oito “Fury Within”, que inicia com caos total, com riffs loucos e extremamente distorcidos, sendo os blast beats quase constantes durante o álbum.

A faixa seis “Thus Salvation”, mais lenta, inicia de forma espantosa e brutal, dando a já esperada ênfase na bateria, cheia de intervalos, preparando para o desenrolar na música que logo desacelera enquanto os graves guturais de Erik vociferam o título da faixa, acompanhado de caóticos riffs no fundo.

Pegadas que dão mais preocupação a atmosfera estão presentes na faixa quatro “Bringer Of Storms”, especialmente nos refrãos onde é possível ouvir uma das guitarras fazer a melodia enquanto a outra despeja a base com as baixas afinações, fazendo os graves riffs lembrarem trovões.

O baixo soa com som limpo, não sendo possível distinguir distorções, e acompanha belamente as linhas da guitarra reforçando o soar grave e metalizado do álbum, sendo notável em quase todas as faixas.


Hate Eternal faz parte do grupo de bandas de Death Metal da Flórida, junto a bandas como Death, Deicide, Morbid Angel e mais uma pá de bandas locais. Possuindo uma sonoridade própria e apresentando uma evolução a cada álbum, Hate Eternal oferece um ótimo material, recomendado para que procura uma verdadeira porrada frenética. 


Formação:
Erik Rutan - Guitars /Vocals
J.J Hrubovcak - Bass / Vocals
Hannes Grossmann - Drums

Cidade Natal:
Tampa Bay, Florida, United States
  
Contato:

Mais Informações:


Autor da Resenha: Guilherme Thielen(Niflheim)