terça-feira, 1 de maio de 2018

Resenha Be'lakor - Vessels(2016)


Be'lakor: Técnico, Progressivo ou Melódico?

O mais novo álbum dos Australianos me fez pensar um pouco sobre o gênero e o que pode ser a evolução dele (ou dos três de maneira singular). Confesso que conheço a banda somente a partir de Stone's Reach (2009), que é seu segundo lançamento oficial. Desde então o grupo lançou mais 02 trabalhos, contando com Vessels, lançado este ano de 2016. Neste meio tempo, escutei muitas bandas de Death/Prog/Tech/Melodic, além de muitas outras bandas criativas (Protest The Hero, Volbeat, Leprous e etc...) e em um momento ou outro esses gêneros ou bandas me saturaram de alguma forma e inclusive saturaram a cena em si, no caso do Melodic Death e do Tech Death.

Escutando a discografia do Be'lakor, encontramos a essência dos três gêneros, sempre muito bem trabalhada e coesa. Neste novo trabalho não é diferente, aliás, é elevado! Be'lakor conseguiu mesclar os três gêneros de maneira espetacular sem parecer absurdamente maçante ou similar á outras bandas (Pressure Points parece uma continuação de Opeth já que o mesmo não segue mais a linha do Prog Death. Tech Death está cheio de bandas tocando pra caralho mas é tudo uma igual a outra, sem feeling. Death Melódico já teve seu ápice e agora é quase um gênero extinto). Enfim, acho que esta banda está aí para mostrar a válvula de escape do gênero, sem ser pelas vias sinfônicas (caso do Septic Flesh e Fleshgod Apocalypse).


ABSURDO de sensacional essa banda e este novo álbum.

Minha aposta para o melhor do ano! em 2016.
 
  
Formação:
George Kosmas - Guitar / Vocals
Shaun Sykes - Lead Guitar
John Richardson - Bass
Steve Merry - Piano / Keyboard
Elliott Sansom - Drums 
 
 
Contato: 
 
Mais Informações:
 
 
Autor da Resenha: Guilherme Thielen (Niflheim)